Ergonomia e Desenvolvimento Profissional

Unidade Curricular: Ergonomia e Desenvolvimento Profissional
Ano:

3

Semestre:

2º Semestre

Área Disciplinar:

Pedagogia e Met. de Intervenção nas Act. Motoras

ECTS:

5.0

Regente:

Catarina Maria Gomes Duarte da Silva

Objectivos:

Conhecer a evolução histórica das relações entre a ergonomia e a formação de tipo profissional.
Conhecer a realidade social portuguesa do ponto de vista das relações entre escolaridade, formação profissional e trabalho.
Justificar as opções de uma formação profissional contextualizada, baseada na análise do trabalho real.
Conhecer os pressupostos teórico-metodológicos das abordagens de formação/ação com vista à transformação do trabalho.
Desenvolver uma proposta de formação de formação profissional baseada em necessidades reais identificadas na disciplina de estágio I e II.

Conteúdos Programáticos em Syllabus:

1. Conceito, história e práticas da Formação Profissional em Portugal;
2. Caracterização da população portuguesa quanto ao nível de escolaridade, acesso a formação profissional e à informação (estatísticas oficiais);
3. O trabalho como ponto de partida da formação profissional;
4. Diferentes tipologias de abordagens formativas contextualizadas;
5. Abordagem de formação/ação dos atores do trabalho para a transformação do trabalho.

Avaliação:

Métodos:
1. Aulas teóricas: - Expositivo apoiado pelo uso de suportes construídos em PowerPoint; - Participativo e interrogativo, fazendo apelo à reflexão e verbalização em torno das matérias que estão a ser lecionadas.
2. Aulas teórico-práticas: - Demonstrativo, participativo e interrogativo apoiado em guiões ou fichas de trabalho focados em casos ou problemas abordados nas aulas teóricas, promovendo a discussão em grupos.
A avaliação da disciplina pode ser realizada em duas modalidades:
1. Contínua - o aluno deve realizar um teste sumativo (50%) relativo aos conceitos teóricos e uma proposta de formação (50%). A classificação final é a média ponderada destas duas componentes.
2. Final - o aluno deve realizar um exame escrito (50%), relativo a toda a matéria abordada, independentemente da sua natureza, e um exame oral (50%). A classificação final é calculada pela média ponderada das notas obtidas em cada uma das provas.

Bibliografia:

Cardim, J. (2005). Formação profissional: problemas e políticas. Lisboa, UTL-ISCSP.
Lacomblez, M (2001). Analyse du travail et élaboration des programmes de formation professionnelle. Relations Industrielles, vol 56, nº3, 543-578.
Lenoir, Y. & Pastré, P. (2008). Didactique professionnelle et didactiques disciplinaires en debat. Toulouse, Octares Editions.
Lopes, H; Lacomblez, M; Vasconcelos, R; Pires, L; Santos, M; Calapez, T. (1998). Aplicação de metodologias de formação para adultos pouco escolarizados. Observatório do Emprego e Formação Profissional. Col. Estudos e Análises 15, Lisboa.
Pastré, P. (2004). Recherches en didactique professionnelle. Toulouse, Octares Editions.
Teiger, C. (2003). La formation à l’analyse ergonomique du travail, outil de changement des représentations pour changer le travail. In C. Martin & D. Baradat (coord). Des pratiques en réflexion. 10 ans de débats sur l’intervention ergonomique. Octares Editions, Toulouse, 53-60.

Programa em formato pdf:

Português

English

2019/2020

2019/2020

2018/2019

2018/2019

2017/2018

2017/2018

2016/2017

2016/2017

2015/2016

2015/2016

2014/2015

2014/2015

2013/2014

2013/2014



Erasmus Incoming