Introdução à Ergonomia

Unidade Curricular: Introdução à Ergonomia
Ano:

1

Semestre:

1º Semestre

Área Disciplinar:

Psicologia e Comportamento Motor

ECTS:

7.0

Regente:

Filipa Catarina V. Silva Pinto Marto Carvalho

Objectivos:

A disciplina de Introdução à Ergonomia pretende fornecer ao estudante uma visão global sobre o papel da Ergonomia no contexto socioeconómico atual, bem como a compreensão da função do Ergonomista neste mesmo contexto. Os objetivos de aprendizagem são:
- Conhecimento da evolução histórica da Ergonomia e do estado da arte nos planos nacional e internacional;
- Compreensão da necessidade e da importância da Ergonomia no contexto socioeconómico atual;
- Compreensão do enquadramento do ergonomista nos sistemas laborais;
- Compreensão das etapas fundamentais da prática ergonómica.

Conteúdos Programáticos em Syllabus:

1. Conceito de Ergonomia
2. Desenvolvimento da Ergonomia
- Origem e evolução
- As principais correntes da Ergonomia
3. Abordagem ao conceito de Ergonomia
- Conceitos de Ergonomia de diversos autores e organismos
- Ergonomia: Ciência Multi, Inter e Transdisciplinar
- Critérios fundamentais da Ergonomia: Conforto, segurança, saúde, eficácia e fiabilidade
4. Abordagem ao conceito de Trabalho
- Conceito de trabalho
- A posição do homem na organização do trabalho
- Visão da Ergonomia sobre o trabalho
5. Sistema Homem-Trabalho/Situação de trabalho
- Noção de sistema
- Componentes do sistema/situação de trabalho
- Tipos de relações
6. Prática Ergonómica
6.1. Análise ergonómica
- Domínios de análise ergonómica: Sistema sociotécnico; atividade
- Resultados da atividade
6.2. Intervenção ergonómica
- Domínios de intervenção ergonómica
- Classificação da Ergonomia do ponto de vista da Intervenção - objeto, objetivo, contexto e dimensão da intervenção
- Exemplos de contextos de aplicação da Ergonomia

Avaliação:

A UC contempla dois modelos alternativos de avaliação: contínua e final. A avaliação contínua prevê a realização de dois testes de avaliação e a realização de um ou dois trabalhos práticos (fichas, relatórios, recensões); A nota mínima admitida por teste será de 9.5 valores. A média dos dois testes tem um peso de 70% na classificação final. A nota mínima da classificação do trabalho (ou da média dos trabalho) é de 9.5 valores e tem um peso de 30% para a classificação final. Este modelo requer a presença obrigatória em 4/5 das aulas efetivamente lecionadas. Alternativamente, os alunos podem optar pela avaliação final que consiste na realização de um exame escrito, englobando toda a matéria. Para ter acesso à oral (decidida caso a caso) o aluno tem que obter nas avaliações, teórica e prática, a nota mínima de 9.5 valores.

Bibliografia:

Cazamian, P. (1988) Traité d’ergonomie, Editions Octarés – Entreprises, Marseille.
Dan MacLeod (1995) The ergonomics edge: improving safety, quality and productivity, VNR, USA.
Guérin et al (2007). Comprendre le travail pour le transformer. Octares.Toulouse.
Karwowski, W. (2011) International Encyclopedia of ergonomics and human factors, Vol.1, Taylor & Francis.
Laville, A. (1990) L’ergonomie, Colecção Que sais-je?, PUF, Paris.
Montmollin, M. (1990) L’ergonomie, Editions la Découverte, Paris.
Noulin, M. (1992) Ergonomie, Techniplus, France.
Rabardel, P.; Carlin, N.; Chesnais, M.; Lang, N.; Joliff, G.; Pascal, M. (2001) Ergonomie, concepts et methods, Editions Octarés, 3ª ed., Toulouse.

Programa em formato pdf:

Português

English

2019/2020

2019/2020

2018/2019

2018/2019

2017/2018

2017/2018

2016/2017

2016/2017

2015/2016

2015/2016

2014/2015

2014/2015

2013/2014

2013/2014



Erasmus Incoming