Formação Profissional e Organização do Trabalho

Unidade Curricular: Formação Profissional e Organização do Trabalho
Ano:

1

Semestre:

1º Semestre

Área Disciplinar:

Pedagogia e Met. de Intervenção nas Act. Motoras , Parte Currcicular

ECTS:

4.0

Regente:

Rui Fernando Roque Martins

Objectivos:A. -Conhecer as Teorias do Desenvolvimento Profissional
- Conhecer os princípios e metodologias da Educação para o Empreendorismo
B. - Integrar conhecimentos relativos à Organização do Trabalho numa perspetiva de otimização das interações homem sistema, caracterizando o quadro organizacional em que se desenvolve a atividade humana, bem como os fatores de penosidade associados.
C. - Conhecer os principais modelos de formação e enquadramento profissional da Reabilitação Psicomotora, a nível nacional e internacional.
- Conhecer os suportes conceptuais e metodológicas da Gestão do stresse em meio laboral,
- Conhecer as metodologias e instrumentos de avaliação do stresse ocupacional
- Conhecer programas de gestão do stresse ocupacional incluindo a participação de componentes de intervenção por mediação corporal
Conteúdos Programáticos em Syllabus:MÓDULO A- TEORIAS DO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL
1.O conceito de empreendedorismo.Numa fase inicial caracteriza-se o conceito de empreendedorismo e a polissemia que o caracteriza, de acordo com autores de referência na área.
2. Inovação e empreendedorismo.Tendo em conta que, aliado à maior parte das definições de empreendedorismo temos o conceito de inovação, afigura-se necessário analisar algumas considerações sobre este conceito e sobre os diferentes tipos de inovação.
3. Tipos de empreendedorismo.Além de existirem várias definições do conceito de empreendedorismo, os investigadores ao longo dos anos descreveram ainda diferentes tipos de empreendedorismo que serão caracterizados.
4. A relevância do empreendedorismo para a sociedade.O empreendedorismo é uma característica fulcral na sociedade atual, que deve ser fomentada, pela sua repercussão no tecido económico do país, através da criação de empregos e de fontes de riqueza (Comissão das Comunidades Europeias, 2006 e 2003;
Avaliação:1. Avaliação contínua
Os alunos que optarem pelo modelo de avaliação contínua terão que cumprir os seguintes requisitos:
a) Realização de um trabalho prático individual ou em grupo, em cada um dos módulos (orientado no decurso das aulas teórico-práticas); Cada trabalho contará 30% para a média final, correspondendo os restantes 10% ao nível de participação e de responsabilidade revelado nas aulas práticas e la conceção e elaboração dos trabalhos sujeitos a avaliação.
2. Exame final, incluindo prova escrita e oral
Bibliografia:Módulo A
· Valeyre, A.; Lorenz, E.; Cartron, D.; Csizmadia, P.; Gollac, M.; Illéssy, M.; Makó, C. (2009) “Working conditions in the European Union: Work organisation”, European Foundation for the Improvement of Living and Working Conditions,Report ef0862.
Módulo B:
·Askenazy, P.; Cartron, D.; de Coninck, F.; Gollac, M. (coordinateurs) (2006) “Organisation et intensité du travail“,Octares: Toulouse.
·Benchekroun, T.H., Weill-Fassina, A. (2000). “Le travail colective. Perspectives actuelles en ergonomie”. Editions Octares: Toulouse.
·Carayon P.; Smith, M. J. (2000) “Work organization and ergonomics”; Applied Ergonomics, Volume 31, Issue 6, December, Pages 649-662
·Ferreira, J.M.C., Neves, J. & Caetano, A., (2001). Manual de psicossociologia das organizações. Lisboa, McGraw-Hill.
·Monk, T.; Folkard, S. (1992) “Making shiftwork tolerable ”; Taylor & Francis, 94 pág
·Valeyre, A.; Lorenz, E.; Cartron, D.; Csizmadia, P.; Gollac, M.; Illéssy, M.; Makó, C. (2009) “Working cond
Programa em formato pdf:

Português

English

2019/2020

2019/2020

2018/2019

2018/2019

2017/2018

2017/2018

2016/2017

2016/2017

2015/2016

2015/2016

2014/2015

2014/2015

2013/2014

2013/2014



Erasmus Incoming