Estudar no Estrangeiro

Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2011 JoomlaWorks Ltd.

A FMH oferece aos seus alunos a possibilidade de estudarem um ou dois semestres no estrangeiro, nas escolas suas parceiras em Universidades Europeias (programa ERASMUS) ou Brasileiras.

Candidaturas

Quem é que se pode candidatar a um Programa de Mobilidade?

Estudantes cidadãos de um país elegível, ou que beneficiem do estatuto de residência permanente*, apátridas e refugiados políticos que:

  • Estejam devidamente inscritos na FMH num programa de estudos de ensino superior conducente a um grau, no ano lectivo em que se candidatam e no ano lectivo em que realizam a mobilidade
  • Tenham concluído, no mínimo, 60 ECTS do Ciclo que se encontram a frequentar

* Em Portugal, é concedido, nos termos dos artigos 82.º, 84.º e 85.º do Decreto-Lei n.º 244/98 de 8 de Agosto, aos estrangeiros que residam em território português há, pelo menos, 10 anos consecutivamente. Os estudantes nestas condições devem apresentar comprovativo legal.

Quando é que é o período de candidaturas?

No final do mês de março de cada ano, a DRECE organizará uma reunião, em data a afixar, para esclarecimento de dúvidas relacionadas com os Programas de Mobilidade e abertura de pré-inscrições.

Quais são as Universidades para onde eu posso ir?

Pode consultar a listagem das Universidades Brasileiras e Europeias com as quais a FMH mantém um acordo assinado aqui.

A universidade para onde eu queria ir não aparece na listagem. O que devo fazer?

Contacte a DRECE para ver a possibilidade de assinatura de um novo Acordo com essa Universidade.

Quais são os passos para me candidatar?

Todas as fases de candidatura podem ser consultadas aqui.

Quais são os critérios de seriação para as Candidaturas Selecionadas?

1 – As pré-candidaturas selecionadas como admissíveis serão seriadas, relativamente às IES de destino, em função dos seguintes critérios, por ordem de prioridade:

a) os estudantes que se encontrem a frequentar o ano curricular mais avançado do ciclo de estudos que se encontrem a frequentar;
b) os estudantes que tiverem o menor número de reprovações;

c) os estudantes que tiverem a média aritmética mais elevada à data da pré-candidatura;

2 – Terminada a seriações, esta deverá ser divulgada na página web da FMH, e os estudantes deverão ser informados individualmente.

Como e quando é que eu sei que fui aceite?

Após o encerramento das pré-inscrições, a DRECE procede à seriação dos candidatos, e os estudantes são contactados por e-mail com informação sobre o resultado da sua candidatura. Pode também dirigir-se pessoalmente à DRECE.

Bolsas ERASMUS

Todos os estudantes ERASMUS recebem uma Bolsa de Mobilidade?

Participar no programa Erasmus significa que foi selecionado para fazer mobilidade e beneficia do estatuto ERASMUS (não pagar propinas na universidade para onde vai), o que significa que pode ser um estudante bolsa Zero.

O programa ERASMUS dispõe de um conjunto (limitado, face ao número habitual de candidatos) de Bolsas de Mobilidade para os alunos ERASMUS. Por isso, um aluno ERASMUS não dispõe automaticamente de uma Bolsa de Mobilidade.

O número de bolsas atribuído anualmente a cada instituição universitária depende da disponibilidade orçamental da União Europeoa. A atribuição das Bolsas é da realizada pelo Coordenador ERASMUS de acordo com a seriação dos candidatos, tendo em conta as notas e o número de ECTS.

As bolsas atribuídas aos estudantes ERASMUS destinam-se apenas a contribuir para despesas extraordinárias decorrentes da mobilidade e não abrangem todas as despesas que o aluno teria normalmente no estabelecimento de origem. Apenas como caráter indicativo, as bolsas atribuídas anualmente, em média, rondam os 200€/mês (incluindo despesas com viagem).

Quando e onde é que recebo a bolsa?

A bolsa será transferida para o NIB que indicar na documentação a ser preenchida para envio à Reitoria. A transferência da bolsa será efetuada apenas após a assinatura do contrato ERASMUS na Reitoria.

Para receber a Bolsa tenho de passar a todas as unidades curriculares constantes do meu Contrato de Estudos?

Não. Tem é que ter uma classificação em todas (mesmo que seja negativa). A falta de classificações poderá implicar a devolução integral da Bolsa recebida.

ECTS | Reconhecimento Académico

Quantos créditos ECTS tenho de fazer?

Normalmente um ano letivo corresponde a 60 créditos ECTS e um semestre a 30 créditos ECTS.

Em mobilidade, terá que estar inscrito a um mínimo de 20 ECTS.

O que é o Plano de Estudos e para que serve?

O Plano de Estudos é o documento que tem de entregar na DRECE antes de partir, do qual constam as Unidades Curriculares que vai fazer no estrangeiro e a sua correspondência na FMH.

Este documento, Contrato de Estudos Inicial, garante o reconhecimento das Unidades de Curriculares concluídas com sucesso no estrangeiro.

Quero fazer uma alteração ao Plano de Estudos inicial. Como devo proceder?

Qualquer alteração ao plano de estudos inicial terá de ser comunicada à DRECE, através do envio do documento Alteração ao Contrato de Estudos Inicial, que a encaminhará para o Coordenador ERASMUS da FMH.

Cabe ao Coordenador Erasmus da FMH a aceitação das alterações propostas.

Posso inscrever-me em Unidades Curriculares que não constam do Plano de Estudos do meu Curso?

Sim, até porque estas deverão constar do Suplemento ao Diploma.

Posso prolongar o meu período de estudos?

Sim, desde que os Coordenadores ERASMUS (da instituição de acolhimento e da FMH) concordem com o prolongamento.

Este prolongamento não pode abranger dois anos letivos distintos.

Documentos a tratar

Quais os documentos que eu tenha de tratar antes de ir estudar para o Estrangeiro?

Para além dos documentos necessários à candidatura terá ainda que deixar na DRECE uma Procuração. 

Para tal, deverá nomear um Procurador (ou seja, um familiar ou amigo) que ficará responsável por tratar de qualquer assunto relacionado com a FMH e por ir à Reitoria assinar o contrato de Mobilidade.

No caso dos estudantes ao abrigo do programa ERASMUS, deverá também tratar do Cartão Europeu de Seguro de Doença, que assegura a prestação de cuidados de saúde quando beneficiários de um sistema de segurança social de um dos Estados da União Europeia, Espaço Económico Europeu ou Suíça se deslocam temporariamente neste espaço. É um modelo único, comum a todo o espaço da União Europeia, Espaço Económico Europeu e Suíça. Para mais informações visite o site do Cartão Europeu de Seguro de Doença.

Quando regressar à FMH tenho de entregar algum documento?

Terá de trazer consigo uma declaração de estada que comprove as datas de chegada e de partida, assinado e carimbado pela instituição de acolhimento e de preencher o relatório referente ao período de mobilidade.

Os documentos são entregues no DRECE.

Questões práticas

Posso contactar diretamente com a Universidade de Acolhimento?

Sim, mas só depois de ter sido formalmente aceite por esta.

Quem trata do Alojamento?

O alojamento é da responsabilidade de cada estudante, e não da Universidade de acolhimento.

Podem existir soluções de alojamento disponíveis para os estudantes estrangeiros e nestes casos a própria universidade de acolhimento informará o estudante dessa possibilidade.

Erasmus Incoming