Âmbito

 

GestÃo Escolar, SaÚde e Necessidades Especiais

COMPORTAMENTO SEXUAL E CONHECIMENTOS, CRENÇAS E ATITUDES FACE AO VIH/SIDA
(RELATÓRIO PRELIMINAR, DEZEMBRO 2006)

INDICADORES DE SAÚDE DOS ADOLESCENTES PORTUGUESES

QUALIDADE DE VIDA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

RELATÓRIO PRELIMINAR DO ESTUDO HBSC 2006

CONSUMO DE SUSBSTÂNCIAS NOS ADOLESCENTES PORTUGUESES
(RELATÓRIO PRELIMINAR)

A SAÚDE DOS ADOLESCENTES PORTUGUESES HOJE E EM 8 ANOS

INDICADORES DE SAÚDE DOS ADOLESCENTES PORTUGUESES  

QUALIDADE DE VIDA EM CRIANÇAS ADOLESCENTES 

CONSUMO DE SUSBSTÂNCIAS NOS ADOLESCENTES PORTUGUESES 

COMPORTAMENTO SEXUAL E CONHECIMENTOS, CRENÇAS E ATITUDES FACE AO VIH/SIDA 

 

Âmbito

No âmbito do projecto Aventura Social e Saúde, o HBSC/OMS (Estudo dos comportamentos de saúde dos jovens em idade escolar) é um estudo colaborativo da Organização Mundial de Saúde realizado de 4 em 4 anos por uma rede europeia de profissionais ligados à Saúde e à Educação.

Iniciou-se em 1982 com investigadores de 3 países: Finlândia, Noruega e Inglaterra, e pouco tempo depois foi adoptado pela OMS, como um estudo colaborativo. Neste momento conta com 35 países entre os quais Portugal, integrado desde 1996 e membro associado desde 1998.
A Coordenação Portuguesa foi ainda eleita parte do Conselho Coordenador do Estudo, em 1998, em representação dos países do Sul da Europa, e faz parte do grupo de partenariado com a OMS, desde 2001.

Portugal, através da equipa do projecto Aventura Social e Saúde/Faculdade de Motricidade Humana/Universidade Técnica de Lisboa, é membro desde 1994, tendo participado nos últimos estudos conduzidos em 1996 (Matos, Simões, Canha & Fonseca, 2000), em 1998 (Matos, Simões, Carvalhosa, Reis & Canha 2000) e em 2002 (Matos, Equipa do Projecto Aventura Social e Saúde, 2003), através do projecto Aventura Social & Saúde desenvolvido na Faculdade de Motricidade Humana. Desde o ano 2001/2002 a equipa desenvolveu uma parceria com investigadores do Instituto de Higiene e Medicina Tropical/Saúde Internacional/CMDT que passaram a integrar a equipa.

O instrumento de investigação do HBSC é um questionário utilizado por todos os países participantes. Este questionário inclui a recolha de dados gerais ao longo de todos os países e permite quantificar os padrões dos comportamentos chave, indicadores de comportamento e variáveis contextuais. Os dados recolhidos em cada país são integrados numa base de dados internacional de acordo com o protocolo definido para o questionário (Currie, Samdal, Boyce & Smith, 2001). Estes dados permitem a realização de comparações nos sucessivos questionários, e estudo de tendências de comportamentos que podem ser avaliados a nível nacional e internacional. Sendo o HBSC um estudo de investigação e monitorização, tem também como objectivo informar e ter impacto nas políticas de promoção e educação para a saúde, e nos programas e intervenções dirigidas para os adolescentes, a nível nacional e internacional. A pesquisa do HBSC resulta na construção de um grupo coerente de indicadores que, no seu conjunto, permitam uma representação válida da saúde e dos estilos de vida dos adolescentes.

Estudo HBSC/OMS 1998

O questionário "Comportamento e Saúde em Jovens em Idade Escolar", utilizado neste estudo, foi o adoptado no estudo europeu HBSC/OMS em 1998. Foram incluídas as questões demográficas e um conjunto de questões relacionadas com expectativas para o futuro, história de consumos (consumo de álcool, tabaco e drogas), prática de exercício físico e tempos livres, hábitos alimentares e de higiene, bem estar e apoio familiar, ambiente na escola (amigos, professores e violência), imagem pessoal, queixas de sintomas psicológicos e somáticos e, por último, crenças e atitudes face ao VIH/SIDA.

A opinião dos jovens portugueses foi recolhida em 191 escolas nacionais de ensino regular, num total de 6903 alunos. As escolas foram sorteadas de uma lista nacional. Foram seleccionados alunos dos 6º, 8º e 10º anos de escolaridade, correspondendo a cada um destes anos uma idade média de 11, 13 e 16 anos, respectivamente. Um pouco mais de metade dos jovens (53%) são do sexo feminino. Identificámos quatro grupos de “cenários” significativamente relevantes para a saúde dos adolescentes: características pessoais próprias, família, escola e pares/lazer. Um grupo de quatro problemas de saúde também foi identificado de acordo com quais grupos de idade e de gênero podiam ser diferenciados. Esses problemas de saúde foram: consumos (tabaco, droga e alcool), violência/acidentes, dieta/imagem corporal e sintomas físicos/psicológicos.

De acordo com os nossos resultados, adolescentes mais velhos mostraram resultados significativamente piores nesses quatro grupos de problemas. Considerando o género, rapazes tendiam a ter significativamente uma situação pior em relação aos consumos e à violência/acidentes e as raparigas tendiam a ter uma situação significativamente pior a respeito de dieta/imagem corporal e sintomas físicos/psicológicos. As implicações desses resultados para intervenções em ambientes escolares e comunidades serão apontados. Esses resultados forneceram uma razão empírica para usar programas de competências pessoais e sociais com adolescentes, de modo a ajudá-los a ser capazes de escolher e manter estilos de vida saudáveis. A relação com os pares e o tempo de lazer apareceram mais ambivalentes na sua relação com a saúde, de onde, provavelmente, serem estes actores e este contexto a melhor aposta em termos de mudança .

Estudo HBSC/OMS 2002

Este trabalho descreve as atitudes e comportamentos ligados à saúde dos adolescentes portugueses, em idade escolar, em Portugal Continental. Responderam 6131 alunos dos 6º, 8º e 10º anos de escolaridade, do ensino regular, em Março de 2002. São ainda comparados, em traços gerais, os resultados do estudo de 1998 com os actuais. Pretende-se uma elaboração esclarecida de programas de intervenção nas escolas, que promova os comportamentos de saúde e apoie a implementação e manutenção de estilos de vida saudáveis nos adolescentes portugueses.O próximo estudo Nacional do HBSC está planeado para 2006. Até lá espera-se que este estudo inspire as melhores práticas.

Projecto Kidscreen

O projecto colaborativo europeu Kidscreen é um estudo multidisciplinar e trans-cultural, com o objectivo da construção de um instrumento estandardizado para avaliação da qualidade de vida em crianças e adolescentes. Foi desenvolvido no âmbito do projecto Europeu "Screening and Promotion for Health-Related Quality of Life in Children and Adolescents - A European Public Health Perspective" criado pela Comissão Europeia e aplicado em amostras representativas a nível europeu e nacional. A equipa portuguesa iniciou a sua colaboração em 2004 tendo já traduzido e adaptado os instrumentos, e levado a cabo um estudo piloto inicial, prevendo-se a validação (versão criança e versão pais) para 2005 (Matos, Gaspar & Calmeiro, 2005), pretende-se aplicá-lo numa amostra representativa portuguesa e analisar os resultados a nível nacional e europeu.

Projecto AVENTURA SOCIAL NAS FAMÍLIAS

O Projecto AVENTURA SOCIAL NAS FAMÍLIAS, em pareceria com a CM do Montijo, Centro Social de S.Pedro do Afonsoeiro e Instituto da Droga e Toxicodependência, teve como objectivo a descrição dos comportamentos associados à saúde das crianças, e das práticas parentais, com vista à elaboração de um programa de promoção da saúde, a nível da autarquia.

 

Publicações

Abstract


Social Adventure and Health
in Portugal
I. Project Description - The HBSC (Health Behaviour in School-aged Children) study was initiated in 1982 by researchers from England, Finland and Norway. It is a collaborative project of the World Health Organisation Regiona1 Office for Europe. Ponugal was included as associated member in 1995 and as full member in 1998. This research project aims to increase our understanding of health behaviours, lifestyles in adolescents' populations. The study findings are then used in the development of health promotion policy , programmes and practices that promote the health of young people at nationa1 and loca1level.
2. Project Aims - The key objectives of the study are: a) to co1lect data on and monitor over time, the health and health behaviour of school-aged children in member countries; b) to increase understanding of young people's health, c) to gain insights into the influences that school, family and other socia1 contexts have on young people's lifestyles; d) to suppon and influence the development of policies, programmes, and practices which promote the health of young people at the internationa1, nationa1 and locallevel; e) to disseminate findings from the study to a1l relevant audiences, f) to promote cross-disciplinary research into young people's health and 1ife styles and the socia1 conditions/contexts of health through nationa1 and intemationa1 networking of health researchers; g) to initiate international research on health behaviours and socia1 conditions/context ofhealth in school-aged children.
3. Method of Intervention - The study focuses on the cu1tura1 context in which young people live, within different countries. Comprehensive surveys of II, 13, and 15 years olds are carried out every four years. The study findings are then used in the development of health promotion po1icy, programmes and practices that promote the health of young people at nationa1 and loca1level.
4. Duration ofthe Project - In Portugal, this project began in 1994 and is ongoing. The next survey wi1l be in 2002.
5. Target Group - Genera1 population of adolescents. Young people with socio-cultural vulnerabi1ities (immigrants). Young people with vulnerable contexts (substance abuse).
6. Evaluation/Random Controlled Trial (RCT) - The results of the survey were pub1ished in an intemationa1, nationa1 and a regiona1 repon. Results were disseminated in regional meetings, and public presentations, and attracted the interest of newspapers and Nationa1 TV. A copy of the nationa1 repon was distributed to a1l Ponuguese schoo1s and health centres.
7. Involvement ofYoung People in the Project - Adolescents panicipated in data co1lection and then in the discussion of the results in Ponuguese schools. It is imponant to know how the adolescents view their health and then discuss with them what they think about nationa1 results and what actions they would think of.
8. Feasibility and Adaptability for Other Countries - The data can be compared over time to monitor societal changes. The questionnaire has been standardised and checked for validity and reliability. Fo1lowing the protocol assures valid, reliable and confidential data co1lection and processing. Comparisons with national and intemational data are possible.